Arquivos da categoria: Sem categoria

Síndrome da imobilização e Lesão por Pressão – conferencia

  • Repouso: 7 a 10 dias
  • Imobilização: 10 a 15 dias
  • Decúbito prolongado: mais de 15 dias

Definição

Supressão de tordos os movimentos de uma ou mais articulações decorrente a diminuição das funções motoras impedindo a mudança de posição ou translocação corporal

O que deixa a imobilidade:

  1. Medo de cair
  2. Obstáculos no domicilio
  3. Encorajamento da Família
  4. Depressão (Grave)
  5. Demência – Parkisson
  6. Doenças Cardíacas – Dispneia ao esforço
  7. Lesões nos pés ou pernas
  8. Polifarmácia

Síndrome da imobilização

Complexo de sinais e sintomas resultante da supressão dos movimentos articulares. Prejudica a mudança postural, compromete a independência, leva a incapacidade, fragilidade e morte.

Critérios diagnósticos

Critério Maior (Obrigatório): Deficit cognitivo médio a grave e múltiplas contraturas

Critérios menores (pelo menos 2)

  • Sofrimento cutâneo ou ulceras por pressão
  • disfagia leve a grave
  • afasia
  • dupla incontinência

Complicações Tegumentares

  • Eritrasma
  • Dermatite amoniacal
  • Intertrigo

Complicações Muculares

  • Atrofia muscular
  • Perda de Força
  • Encurtamento fibras
  • Perda de sarcômeros

Complicações Osseias

  • 0.9% massa Óssea Total / Semana
  • 30% Perda Óssea
  • 70% formação diminuída
  • Baixa Exposição ao sol
  • Baixa ingestão de cálcio

Complicações nas Articulações

  • Contratura da articulação
  • Menor Fluidez no líquido sinovial
  • Menos nutrientes
  • Mais tecidos conectivo e gorduroso
  • reabsorção de osso e cartilagem
  • Cistos Subcondrais

Edema no Pé e na mão

Complicações Respiratórias

  • Pneumonia Principal causa de morte
  • Sintomatologia atípica
  • Reflexo da tosse diminuído
  • Contraturas: elevação do diafragma
  • Diminuição da Expansibilidade Torácica
  • Febre pode está ausente
  • Manifestações Iniciais: Delirium e aumento da frequência respiratória

Livro: Ainda sou eu

S1 – M3 – GT 1 – Alimentação Saudável

Objetivos

  1. Definir Alimentação Saudável
  2. Reconhecer as diretrizes de uma alimentação saudável, baseado na piramide alimentar
  3. Identificar os Macronutrientes e micronutrientes
  4. Descrever a importância dos macronutrientes (Proteínas, Carboidratos e Lipídios) na alimentação, identificando o valor calórico de cada um deles.
  5. Identificar o papel das fibras solúveis e insolúveis.
  6. Interpretar os rótulos de alimentos e sua importância para um alimento saudável.
  7. Diferenciar alimentos Lights Diets e sua aplicação na prática clínica.
  8. Definir caloria e compreender como é mensurado o gasto energético diário (Taxa Metabólica basal, efeito termogênico dos alimentos e gasto calórico com atividade física).
  9. Identificar as necessidades nutricionais diárias a partir do conceitos do metabolismo basal.

Objetivo 1 – Definir Alimentação Saudável

Segundo o Dr Fernando Moreno (apud Cozzolino e Cominetti), a ciência da nutrição está em constante evolução e atualmente os pesquisadores passaram a se preocupar com os efeitos dos alimentos e seus constituintes específicos, não só para prevenção de doenças mas para a melhoria de desempenho individual.

Segundo Pucci, Menezes e Damião (apud Martins, Carrilho, Alves et al), uma alimentação saudável deve atender às necessidades nutricionais dos indivíduos ser composta de alimentos in natura e regionais, além de contemplar todos os grupos de alimentos e de nutrientes, a fim de evitar deficiências nutricionais.

O Ministério da Saúde também recomenda o consumo em grande variedade de alimentos in natura e especialmente consumir tanto o alimento de origem animal (Rico em proteínas, minerais e vitaminas) como o vegetal (Rico em Fibras). Devendo limitar o consumo de alimentos processados (Queijos, Sal, Óleos, Pão, Alimentos em Conserva) e evitar o máximo alimentos ultraprocessados (Macarrão instantaneo, biscoitos recheados, refrigerantes).

Na seleção de alimentos para a alimentação saudável o Ministério da Saúde recomenda a diminuição das carnes vermelhas e

Segundo Rangel-S, Lamengo e Gomes, a alimentação saudável possui um baixo teor de gorduras e carboidratos simples, alta quantidade de fibras.

Ainda segundo Rangel-S, Lamengo e Gomes, o conceito da alimentação saudável se relaciona às noções de variedade; equilíbrio; quantidade de refeições; segurança alimentar; fonte de prazer e respeito ao hábito alimentar. Devendo, também, restringir ou moderar-se o consumo de gorduras e açúcares.

O Ministério da Saúde também indica três itens sobre os hábitos de comer que devem ser levados em conta para uma alimentação saudável:

  1. Comer com regularidade e com atenção;
  2. Comer em ambientes apropriados;
  3. Comer em companhia

Objetivo 2 – Reconhecer as diretrizes de uma alimentação saudável, baseado na piramide alimentar

A pirâmide alimentar para a população brasileira foi adaptada da versão similar elaborada pelos Estados Unidos em 1922. (Martins, Carrilho, Alves et. al.)

A pirâmide é um instrumento para

Objetivo 9 – Identificar as necessidades nutricionais diárias a partir do conceitos do metabolismo basal.

Segundo Pucci, Menezes e Damião (apud Martins, Carrilho, Alves et al), a necessidade nutricional é definida como a quantidade de energia e nutrientes que um indivíduo sadio deve consumir para satisfazer suas necessidades fisiológicas e prevenir sintomas de deficiências.

Referências Bibliográficas

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

Campbell Mary – Bioquimica – 3ª Edição: Artmed Porto Alegre, 2006.

Cozzolino, S e Cominetti, C – Bases Bioquímicas e Fisiológicas da Nutrição. Barueri, SP: Manole, 2013.

Martins, M; Carrilho, F; Alves, V et al – Clínica Médica Volume 4: Doenças do Aparelho Digestivo, Nutrição e Doenças Nutricionais. Barueri, SP: Manole, 2009.

RANGEL-S, Maria Ligia; LAMEGO, Gabriela; GOMES, Andrea Lizabeth Costa. Alimentação saudável: acesso à informação via mapas de navegação na internet.Physis,  Rio de Janeiro ,  v. 22, n. 3, p. 919-939,    2012 .   Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312012000300005&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  03  nov.  2017.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312012000300005.

 

Arquivos

guia_alimentar_populacao_brasileira

Alimentação Saudável – Ministério da Saúde